Aos diabéticos como eu…


E tu que estás a comer
Esse teu rico almoço
Não te esqueças de fazer
Um almoço um pouco insosso

Olha lá pela tua saúde
Tem cuidado com a diabetes
Mede-os de forma amiúde
E se a mais, a fome apertes

Aperta a fome vê lá o que comes
Tem juízo para não sofrer
É assim que se vêem os homens
Na doença que não querem ter

Mas ela aparece sem darem fé
Dada a sua grande apetência
Comer bem é que é
E a seguir vem a incontinência

Para que isso não aconteça
Faz uma vida bem regrada
Mesmo que às vezes não pareça
Essa vida irá ser abençoada

Foge dos amigos que gostam da mesa
Diz-lhes que não os podes acompanhar
Que no fim ficas com uma certeza
Que ao fugir também os estás a amar


Armindo Loureiro – 13/03/2012 – 13H30


Esta foi a descrição mais sutil através dessa poesia de Armindo Loureiro...

Meu avô era diabético (in memorian) morreu quando teve uma crise... Estava na rua e não tinha ninguém para socorrê-lo... Foi muito triste, mas deixou um alerta: Cuidem-se!
Periodicamente faço meus exames e cobro da minha família, por saber da sua hereditariedade...Não sei se aguentaria sem açúcar... Chocólatra por natureza, admiro muito os diabéticos pois do seu controle diário resulta numa melhor qualidade de vida! 

UM ABRAÇO A TODOS OS DIABÉTICOS... 

Nenhum comentário:

Add

Comente!